Vladimir Putin ordena a destruição total do arsenal químico russo

Dentro de todas as notícias ameaçadoras que ouvimos no dia a dia, eis uma que nos dá uma réstia de esperança em relação à humanidade.

Sabemos que o armamento químico pode atingir proporções de destruição inimagináveis e ultimamente têm sido uma ameaça constante devido aos conflitos entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos da América. Também já vimos alguns testes e simulações e os resultados disseram tudo.

Ahmet Üzümcü, o director da Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ), fez um anúncio histórico:

“A Rússia destruiu todo o seu programa de armas químicas, cerca de 39,967 toneladas métricas de substâncias fatais.”

Nesta destruição, disse Ahmet, os Estados Unidos da América colaboraram para erradicar tudo, sendo que todos os países que fazem parte da OPAQ se comprometeram a destruir estas armas nos seus territórios.

Entre 2005 e 2015, a Rússia fechou as suas instalações em Gorny, Maradykovsky, Leonidovka, Pochep e Shchuchye, onde se produziam estas armas, sendo que só a instalação de Kizner estava pendente. Agora, também esta ficou fora de operação.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, comentou:

“É um acontecimento histórico e um passo enorme para um mundo mais equilibrado e mais seguro.

Pode-se dizer mesmo que é algo histórico, especialmente tendo em conta os arsenais de armas químicas que herdámos deste os tempos soviéticos, que podiam destruir várias vezes toda a vida existente na Terra.”

Quanto aos Estados Unidos da América, comprometeram-se a erradicar as suas armas químicas até ao ano de 2023. Será que cumprirão?