Vladimir Putin declara guerra ao rap: não gosta e quer controlá-lo para que não afecte a Rússia

Segundo Vladimir Putin, o rap é um caminho para a degradação da Rússia e assim, o presidente quer que este tipo de música seja controlada pelas autoridades.

Cada um tem os seus gostos e para alguns, tanto o rap como o rock são tipos de música com muita violência, pois algumas das suas letras incitam à rebeldia e à desobediência. As pessoas que têm esta opinião são respeitadas mas quando uma das pessoas com esta opinião é o presidente da Rússia, as coisas ficam um pouco mais escabrosas…

A campanha de Putin contra o rap começou há cerca de um mês, a 21 de novembro, quando o rapper russo Husky ia atuar na Arena Hall, em Karsnodar. Tudo estava pronto para a apresentação do artista mas à última da hora, os administradores do local cancelaram tudo.

Supostamente, haviam recebido ameaças do estado e das autoridades locais de que poderiam receber multas se aparecesse mais público do que o esperado ou se houvesse qualquer outra irregularidade. Ainda assim, isso não deteve Husky, que decidiu fazer o seu concerto em plena rua; subiu a um carro e começou a cantar…

A festa havia apenas começado quando a polícia chegou ao local para deter toda a gente, incluindo os membros do grupo de rap que se apresentavam a atuar. Foram acusados de “causar danos aos veículos” aqueles que subiram para cima dos carros e foram mesmo condenados a 12 dias de prisão.

Depois do sucedido, começou um cancelamento massivo de outros concertos de rap. Grupos como IC3PEAK, GONE.Fludd e Friendzone não puderam apresentar-se ao vivo e alguns deles também acabaram detidos por outros motivos.

As autoridades locais, os funcionários do Kremlin de Moscovo e até o Ministério da Administração Interna
foram assinalados como os culpados desta proibição de música mas todos eles asseguraram que estavam apenas a executar ordens superiores.

A indignação popular cresceu tanto nas redes sociais que as autoridades tiveram de libertar Husky antes de ele cumprir os 12 dias de prisão. Foi depois de uma reunião de Putin com o Conselho de Arte e Cultura da Rússia que o assessor Igor Martviyenko propôs que se desse orientação aos pais de família para que tomassem as precauções necessárias quando os seus filhos fossem assistir a concertos de rap, uma música que considerou ser de origem americana.

Nesse momento, Putin tomou a palavra e disse que Igor tinha explicado: “O rap e todas essas coisas modernas baseiam-se em três pilares: sexo, drogas e protestar. Das três, a que mais me preocupa são as drogas […] são o caminho direto para a degradação da nação”.

Vladimir disse também que, devido às letras violentas deste género de música, devia existir uma regulação das coisas que são expressadas nas suas canções para que não incitem à agressividade.

Tinhas noção?