Vídeo de urso polar a morrer de fome ilustra o quanto as mudanças climáticas estão a afectar a vida selvagem

Há muita gente por esta mundo fora que não acredita nas mudanças climatéricas, cada um com as suas razões. A verdade é que fica difícil de argumentar quando vídeos como estes surgem, mostrando o quão a vida selvagem está a ser afectada.

Surgiu no Instagram um vídeo de um urso polar a morrer de fome que tem chocado o mundo inteiro…

My entire @Sea_Legacy team was pushing through their tears and emotions while documenting this dying polar bear. It’s a soul-crushing scene that still haunts me, but I know we need to share both the beautiful and the heartbreaking if we are going to break down the walls of apathy. This is what starvation looks like. The muscles atrophy. No energy. It’s a slow, painful death. When scientists say polar bears will be extinct in the next 100 years, I think of the global population of 25,000 bears dying in this manner. There is no band aid solution. There was no saving this individual bear. People think that we can put platforms in the ocean or we can feed the odd starving bear. The simple truth is this—if the Earth continues to warm, we will lose bears and entire polar ecosystems. This large male bear was not old, and he certainly died within hours or days of this moment. But there are solutions. We must reduce our carbon footprint, eat the right food, stop cutting down our forests, and begin putting the Earth—our home—first. Please join us at @sea_legacy as we search for and implement solutions for the oceans and the animals that rely on them—including us humans. Thank you your support in keeping my @sea_legacy team in the field. With @CristinaMittermeier #turningthetide with @Sea_Legacy #bethechange #nature #naturelovers This video is exclusively managed by Caters News. To license or use in a commercial player please contact [email protected] or call +44 121 616 1100 / +1 646 380 1615”

A post shared by Paul Nicklen (@paulnicklen) on

O fotógrafo da National Geographic Paul Nicklen foi quem gravou o vídeo chocante que mostra o pobre animal com dificuldade em manter-se em pé, procurando em todo o lado por alimento.

É estranho vermos um urso polar no ambiente em que estava. Estamos habituados a vê-los perto dos glaciares ou a nadar nas águas do Ártico mas desta vez ele encontrava-se num terreno rochoso e cheio de ervas, que parecia não ter comida em local nenhum.

Paul escreveu no Instagram: “Eu e a minha equipa toda fomos levados às lágrimas devido à emoção enquanto documentavamos este urso polar a morrer”.

“É uma cena que magoa na alma e que ainda me assombra mas eu sei que precisamos de partilhar o belo e o que magoa no coração se vamos quebrar as barreiras da apatia. A fome é isto. A atrofia dos músculos. A falta de energia. É uma morte lenta e dolorosa”.

“Quando os cientistas dizem que os ursos polares estarão extintos nos próximos 100 anos, eu penso na população global de 25,000 ursos a morrerem desta forma. A verdade é que se a Terra continuar a aquecer, iremos perder os ursos e todos os seus ecossistemas polares”.

“Este urso não era velho mas certamente que morreu horas ou dias depois deste momento”, terminou.

Mas Paul deu algumas dicas: “Há soluções para isto. Temos de comer convenientemente, parar de cortar as florestas e começar a ver a Terra como a nossa primeira casa”.

Alguns investigadores explicaram que o futuro é sombrio para os ursos polares se as coisas continuarem assim. Um estudo de 2016 confirmou que se os glaciares continuarem a derreter, veremos a população da espécie a baixar de 26,000 para 17,000 numa questão de 35 anos…

Triste, muito triste.