Teoria sugere que talvez estejamos a viver numa simulação, como nos Sims

Acreditas que vives no Matrix? Então não és o único e possivelmente nem sequer estás equivocado. Milhões cresceram com jogos como The Sims ou Sim City, onde tens que criar famílias e/ou cidades.

Agora, alguns especialistas acreditam que não é completamente descabido pensar que realmente crescemos e estamos a viver dentro de uma simulação de computador…

Ainda que para alguns seja completamente ridículo, o conceito já atraiu muitos dos homens mais revolucionários dos nossos tempos, como é o caso do fundador da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, ou o laureado astrofísico Neil deGrasse Tyson.

A teoria que já apareceu em filmes de ficção científico, vídeo-jogos, séries e filmes é mesmo um conceito rial. Nasceu na mente de um filósofo de Oxford, Nick Bostrom, que lançou um artigo no ano de 2001, chamado “Vives numa simulação de computador?”

Nesse artigo, ele propõe duas possibilidades: os humanos ou a humanidade irão extinguir-se antes que cheguemos à etapa em que possamos correr simulações de alta fidelidade dos nossos antepassados ou de facto estamos actualmente a viver numa simulação.

Também afirma que podemos ser seres de outra espécie em outra parte do espaço, onde está alguém superior a correr as simulações.

Em entrevista, o professor explicou:

“Se imaginarmos a ciência e a tecnologia em constante desenvolvimento até ao seu estado de maior maturidade, veremos que seria possível fazer simulações a computador tão detalhadas que podíamos criar pessoas como os nossos antepassados. Nessas simulações, seria muito complicado distingui-las da realidade original”.

E ele vai mais longe! No seu artigo ainda aborda um conceito mais radical: na verdade, podemos ser uma simulação dentro de outra simulação, dentro de outra simulação, sabe-se lá quantas vezes. O professor explica que pode ser viável para as civilizações simuladas converterem-se em ‘posthumanos’, que teriam também as suas simulações, gerando assim um universo.

Medo.