Os homens que conseguem fazer no mínimo 40 flexões têm menos risco de vir a sofrer de problemas cardíacos

E se te dissermos que recentemente, constatou-se que fazer flexões traz mais benefícios do que aquilo que se pensava, uma vez que pelos vistos, elas não ajudam somente a obter um corpo atlético mas também podem reduzir o risco de problemas cardíacos…

Segundo um novo estudo, os homens que conseguem fazer no mínimo 40 flexões têm um risco significativamente menor de sofrerem de algum problema cardíaco, que é a principal causa de mortalidade no mundo inteiro. Na verdade, concluiu-se que os que conseguem chegar pelo menos a essa meta das 40 flexões reduzem em 95% as probabilidades de terem problemas cardiovasculares.

Os investigadores da Harvard T.H. Chan School of Public Health avaliaram 1,104 bombeiros no activo ao longo de dez anos. A idade média dos homens era de 39,6 anos e o índice de massa corporal (IMC), em média, era de 28,7. A capacidade de fazer flexões e a tolerância máxima (capacidade aeróbica) ao exercício foram medidos no início do estudo e posteriormente, com um exame físico e um questionário médico realizado todos os anos.

Durante o estudo, deu-se conta de 37 problemas cardíacos nos participantes e todos estes incidentes, menos um deles, se deram em homens que não conseguiram completar 40 flexões na avaliação física individual. Os investigadores descobriram que esta capacidade era o melhor indicador a respeito da probabilidade de alguém vir a sofrer com problemas cardiovasculares.

Ainda assim, os investigadores indicam que o estudo não pode comprovar a causa e o efeito, tendo também explicado que os resultados podem não se aplicar a mulheres ou homens de outra idade que são menos ativos.

Não deixa de ser curioso.