Mulher que nasceu sem vagina perde, finalmente, “os três”

Com 16 anos de idade, enquanto as suas amigas já tinham uma vida sexual activa, ela ainda nem tinha tido o período. Ela começou a preocupar-se mas pensou para si que talvez aquilo estivesse um pouco retardado só porque sim.



Natasha Bishop nasceu sem útero, sem colo do útero, com apenas um ovário e uma espécie de vagina parcial. Na verdade, Natasha explicou que o seu médico lhe explicou isso de uma forma algo rude, tendo dito: “Oh, parece que não tens nada dentro de ti”…

Ela foi diagnosticada com o Síndrome de Mayer-Rokitansky-Kuster-Hauser, uma condição incrivelmente rara que começa no ventre. No entanto, os médicos estavam incertos ao início e fizeram-lhe uma série de exames e análises, inclusive um teste hormonal para confirmarem que ela era mesmo uma mulher.

Natasha aprendeu a viver com isso mas viu-se num dilema quando entrou num relacionamento e o assunto do sexo veio à baila. Ao princípio, ela ficou preocupada: afinal, como é que ia conseguir fazer sexo sem vagina?

Felizmente, acabou por se submeter a um tratamento para dilatar a sua vagina parcial para que pudesse ter relações sexuais com o seu namorado. As coisas acabaram por acontecer…

Ela perdeu finalmente a sua virgindade e na verdade diz sentir-se muito feliz por poder viver com o seu síndrome numa sociedade onde a mulher tem opções e direitos.

Ainda bem que se encontra bem.