Homem usa capuz dos KKK num supermercado para se “proteger do coronavírus”

Um dia depois de a câmara municipal de San Diego, Califórnia, ter determinado que todos os moradores são obrigados a utilizar máscara em público durante a pandemia de coronavírus, um cliente do supermercado foi visto a utilizar um capuz da entidade supremacista branca Ku Klux Klan (KKK).

O incidente ocorreu no último sábado e de acordo com o que reportou o San Diego Union-Tribune, vários funcionários do supermercado Von pediram que o cliente removesse o capuz, que é um dos maiores símbolos racistas dos EUA. Ainda assim, todos esses pedidos foram ignorados: quando o homem estava na fila para pagar as compras, foi abordado por um supervisor e aí sim tirou o capuz, pagou as compras e abandonou o estabelecimento.

A KKK foi fundada em 1865 nos EUA e no seu auge, nos anos 20, o grupo chegou a ter entre 2 e 6 milhões de seguidores. Atualmente, ainda conta com alguns milhares.

Surreal.