Cientistas refutam evento histórico que está escrito na Bíblia!

É justo dizer que a precisão histórica da Bíblia sempre esteve bem aberta para debate. Agora, alguns cientistas afirmam ter provas directas que contrariam o que está escrito no livro sagrado.

Ainda existem milhões e milhões de pessoas que são bastante religiosas, sendo que muitas delas acreditam veemente no que consta na Bíblia.

Isto torna tudo muito mais controverso quando alguém decide colocar algumas coisas que lá se encontram escritas sob escrutínio…

É que, de acordo com um grupo de geneticistas e arqueólogos, há provas de que um genocídio que supostamente é descrito no Antigo Testamento nunca chegou a acontecer.

A destruição dos Canaã foi ordenada por Deus, quando ele disse aos israelitas: “Vocês não devem deixar vivo tudo o que respire. Mas devem destruí-los completamente.”

E, se a escritura for levada à letra, foi tudo destruído.

Mas, de acordo com um estudo genético realizado recentemente e publicado no American Journal of Human Genetics, os Canaã, de facto, sobreviveram a este holocausto.

Os cientistas foram extrair e analisar sequências de DNA de 5 cadáveres de pessoas que pertenciam à cidade Canaã de Sidon e, quando compararam essas mesmas sequências às das pessoas libanesas de hoje, descobriram que 90% dos seus genes vieram dos Canãa.

Isto diz-nos que eles sobreviveram, e em largo número.

No entanto, a Bíblia reporta a destruição daquelas cidades e a aniquilação das pessoas dos Canãa.

Se isto fosse verídico, eles não poderiam ter contribuído geneticamente para a população libanesa dos dias de hoje, correcto?

Um dos investigadores, Dr. Marc Haber, disse:

“Os libaneses dos dias de hoje são descendentes directos dos Canãa, mas têm também uma porção e descendência Euroasiática que pode ter surgido através das conquistas de populações distantes como os Persas, os Macedónios ou os Assírios.”

Então é isto, aparentemente os tipos de Sodoma e Gomorra se calhar até sobreviveram…