Bombista do Estado Islâmico suicida-se e mata 78 pessoas depois de ter decidido trabalhar remotamente



Com a quarentena que toda a gente está, ou devia estar, a fazer devido ao surto do coronavírus, parece que o “teletrabalho” de algumas profissões já provocaram represálias muito graves. No Irão, um bombista do Estado Islâmico decidiu realizar a sua quarentena e como tal, os seus superiores mandaram-no trabalhar a partir de casa, e ele assim o fez.

Abdul Say Karo, de 39 anos de idade, começou a trabalhar remotamente e é justo dizer que concluiu o seu trabalho, ainda que não possa voltar a trabalhar mais. Fechado no seu prédio, onde habitavam mais 78 pessoas, Abdul conseguiu fazer a tarefa que tinha designada com sucesso e tendo colocado explosivos em todo o prédio sem que ninguém desse conta, acabou por se suicidar, tendo matado 78 pessoas no processo.

As redes sociais do ISIS já vieram falar sobre o sucedido e agora, recordam Abdul como um “trabalhador nato e um excelente membro de equipa”. Pelos vistos, também o Estado Islâmico se encontra preocupado com o contágio do coronavírus mas infelizmente, a sua “profissão” acaba sempre por trazer consequências para os mais inocentes, mesmo que realizada remotamente.

RIP.

Nota: Artigo fictício/satírico/humorístico. A informação aqui veiculada não corresponde à realidade, é meramente ficcional.