16 confissões de pessoas que trabalham no ramo da p*rnografia que te podem surpreender!

Toda a gente sabe o que é a pornografia mas são poucas as pessoas que sabem como realmente as coisas funcionam atrás das câmaras.

Assim, em nome do conhecimento, trazemos-vos algumas informações dos tipos da ManyVids para que possam saber como realmente funciona esta indústria. Confere a seguir…

1. Trabalhar no ramo da pornografia não é assim tão indigente como as pessoas pensam. Há um nível de profissionalismo maior do que em imensos outros empregos.

“Estava preocupada porque pensava que trabalhar na indústria adulta fosse bem mais indigente. Mas não. O profissionalismo é elevadíssimo, há muito talento e excelente gestão de tudo. Os donos da ManyVids são muito respeitosos e são boas pessoas. Não esperava tudo isto”, disse um designer de UI/UX da ManyVids.

2. Grande parte das pessoas tinham trabalhos similares antes de ingressarem na pornografia, por isso é praticamente a mesma coisa mas com conteúdo diferente.

“O director de arte costumava trabalhar no ramo da moda, mas mudou porque descobriu que conseguia ter mais liberdade para expressar a sua criatividade quando comparado com o seu emprego antigo”, disse um dos relações públicas.

3. Há alguns trabalhos bem estranhos: o designer gráfico, por exemplo, passa horas a editar fotos de…ânus.

“Editar um ânus é uma arte. Há definitivamente uma maneira correcta de o fazer”.

– Designer gráfico

4. E em que consiste editar um ânus, basicamente?

“Depende do ânus, mas muitas das vezes tem que ser adicionado mais brilho à ‘área'”.

– Relações públicas

5. Existe mesmo um software de “butthole-tracking”. A sério.

“Fiz um software de butt-hole tracking para tornar o meu trabalho mais eficiente. Basicamente, os vídeos são sequências de imagens Para modificar ou corrigir alguma parte de uma imagem em movimento, não o podes fazzer frame a frame porque isso demorava uma eternidade. Assim, é necessário um sistema de tracking que é algo que isola a imagem que nós queremos, neste caso o ânus. Isto significa que o olho do cu que se está a mover no vídeo vai ser isolado. Depois disso, podemos corrigir o que quisermos nele”, afirmou um editor de vídeo.

6. A razão pela qual este software existe é porque o olho do cu é a parte que mais precisa de edição.

“É uma das partes que precisa de mais correcção em termos de cor, para além das vaginas e das caras”, completou o editor de vídeo.

7. Há vezes em que precisas de identificar as pessoas apenas utilizando os seus genitais…

“Uma vez a DCMA pediu para mandarem um vídeo abaixo por causa dos direitos de autor mas nem sequer haviam rostos envolvidos no vídeo. Assim, tive que identificar um homem baseado na cor de pele e no formato do seu pénis. Nunca tinha olhado tanto para um pénis sem ser o meu…”, afirmou um outro editor da ManyVids.

8. Caso te perguntes o que significa DMCA, significa Digital Millennium Copyright Act e impede outros sites de fazer upload de vídeos pagos de borla.

“Os nossos vídeos são todos pagos, por isso quando os utilizadores os compram e fazem download, são livres de fazer upload do mesmo para outros sites. Isto é ilegal, por isso temos uma equipa que procura por esses vídeos e os manda abaixo. Isto acontece muito devido à popularidade de alguns sites…”.

– Copywriter

9. Na ManyVids, as pessoas podem pagar por um vídeo personalizado onde pedem uma modelo à escolha, tendo já gerado em alguns pedidos bem esquisitos!

“Vamos apenas dizer que MUITAS coisas interessantes acontecem…”, afirmou o representante do apoio ao cliente.

10. As modelos podem montar as suas “mini bancas” onde vendem coisas como dildos ou cuecas usadas.

“Uma vez, um utilizador que comprou ‘cuecas molhadas’ de uma modelo reclamou que aquela humidade não parecia real. Como é que vamos testar isso mesmo?”

– Apoio ao cliente

11. Escrever artigos promocionais para pornografia é bem piroso…

“Uma vez tive que escrever um artigo de promoção para um filme da paródia da Wonder Woman, que parecia uma autêntica fan-fiction erótica. Muito estranho!”.

– Copywriter

12. Por vezes é mais fácil mentir à família do que dizer que se trabalha na indústria da pornografia.

“A parte mais desafiante para mim depois de ter começado a trabalhar na ManyVids foi conseguir dar uma resposta inteligente aos meus amigos e família quando me perguntaram onde estava a trabalhar. Por vezes, tinha que mentir. Agora digo: ‘Sabem o Youtube? Bem, trabalho num Youtube melhor'”, disse um analista sénior da empresa.

13. Ter pornografia no teu browser e no teu histórico é normal mas isso não impede que as pessoas fiquem chocadas quando entram no escritório.

“Adoro ver a cara de quem entra nos escritórios quando se deparam com a quantidade de pornografia que temos nos nossos ecrãs. É mais um dia normal, simplesmente”, afirmou um designer de UI/UX.

14. As reuniões de negócios são muito sérias e profissionais mas por vezes tens que ser muito explícito.

“Por vezes temos reuniões de negócios, que são bem sérias mas depois alguém diz algo sexual. Uma vez estávamos a falar de um produto novo e um dos responsáveis pelo desenvolvimento disse: ‘Podemos clicar na parte da espanholada?'”.

– QA lead

15. Trabalhar na indústria é, na verdade, muito transparente e sem problema algum.

“Eu prefiro trabalhar no ramo da pornografia. O que vês é o que tens. Não há relações complexas por dentro que envolvam manobras estranhas de negócio. É surpreendentemente transparente”.

– Equipa de desenvolvimento

16. Mas para algumas pessoas no escritório, o trabalho é só mais um dia normal.

“Eu sou programador, faço código. São negócios, como usual”.

– Front end developer