Porcos vivos são utilizados como cobaias em simulações de acidentes

Porcos vivos são utilizados como cobaias em simulações de acidentes

Um grupo de investigadores na China deu muito que falar depois de se ter descoberto que andavam a utilizar porcos vivos como cobaias em simulações de acidentes. Num caso de estudo em particular, 15 porquinhos foram colocados em cadeiras com cintos de segurança para simulações a alta velocidade e o resultado foi a morte de sete deles.

Agora, não só os pobres animais tiveram de ser submetidos às condições horríveis da simulação em questão como alegadamente, também não tiveram acesso a água nem a comida nas horas que antecederam os testes…

Na experiência, 15 porcos, com idades entre os 70 e os 80 dias de vida, foram colocados em cadeiras com cintos de segurança e sujeitos a viagens com velocidades na ordem dos 50 quilómetros por hora. Os animais foram posicionados nas cadeiras antes de serem arremessados a essa velocidade contra uma parede e entre fracturas, hemorragias e hematomas, sete dos animais acabaram por falecer.

Para além de tudo isto, todos os animais foram anestesiados antes dos testes para reduzir a “excitação e o stress”. Os investigadores justificaram o uso dos porcos afirmando que a sua estrutura anatómica era muito similar à de crianças humanas.

O que dizer?