Piloto afirma que o “desaparecimento” do avião da Malásia se tratou de um assassinato em massa

Um piloto veio arrebatar o Escritório Australiano de Segurança no Transporte devido ao caso do MH370, dizendo que a teoria do “voo fantasma” precisava de ser alterada.

O antigo piloto da easyJet, Mike Keane, veio dizer que acredita que o voo MH370 foi sequestrado pelo piloto Zaharie Ahmad Shah e que foi deliberadamente enviado para fora da rota de procura, naquele que foi, nos seus olhos, um “assassinato em massa”…

Ao falar com o diário The Australian, Keane explicou: “O que se passou com MH370 foi, sem dúvida alguma, um crime que tinha o intuito de provocar a morte a 238 pessoas inocentes. O governo australiano não esteve bem e devia ter colocado pressão no Escritório Australiano de Segurança no Transporte para que ouvissem e agissem de forma profissional”.

A teoria do Escritório Australiano de Segurança no Transporte é de que o piloto perdeu a consciência, tendo acabado por deixar o avião em piloto automático até este ter ficado sem combustível, tendo ido parar posteriormente ao mar.

O avião desapareceu em março de 2014 e, apesar de buscas exaustivas, nunca foi encontrado. Houve quem dissesse que, caso tivesse sido um ataque terrorista, a organização em questão viria reclamar créditos pelo evento, o que nunca aconteceu.

Será sempre um mistério, na verdade…