O ser humano está cada vez mais estúpido, de acordo com um estudo


 

Desafios estapafúrdios da internet, fidget spinners, teorias da Terra Plana e modas completamente absurdas. É muito para tolerar, verdade? A verdade é que a ciência confirmou aquilo que já se suspeitava há algum tempo – as novas gerações de seres humanos estão a perder inteligência.

No início do século 20, o investigador James R. Flynn demonstrou que o QI das pessoas estava a aumentar e os psicólogos chamaram a esta tendência de nos tornarmos mais inteligentes de Efeito Flynn. Acontece que nos dias que correm, a tendência é outra e a ciência confirma que estamos a perder o intelecto…

Os investigadores do Centro de Investigação Económica Ragnar Frisch, na Noruega, reuniram informações acerca de provas de inteligência durante 39 anos com o objetivo de analisarem o Efeito Flynn mas os resultados obtidos foram uma surpresa.

Estudando os exames de inteligência de 730 mil homens, desde 1970 até ao ano de 2009, os especialistas concluíram que até aos finais do século 20, a inteligência dos seres humanos tem vindo a aumentar mas nos últimos anos, a tendência tem sido outra, sendo que o QI dos seres humanos tem vindo a diminuir nos últimos anos. Não é uma crítica mas sim um dado científico: as novas gerações são menos inteligentes.

Apesar de o Efeito de Flynn ditar que cada geração nova aumentava em três pontos o seu QI, esta mais recente investigação constatou que a tendência está a ser diminuir e que dentro de dez anos, as gerações passarão a ter um QI de 69…

Vale o que vale.