Este japonês manteve um relacionamento de um ano…com uma barata africana


 

Já dizia John Lennon que não interessa quem amas, onde amas, porque é que amas, quando amas ou como amas. O que interessa, isso sim, é que amas. E talvez seja este o lema de vida de Yuma Shinohara. Acontece que o japonês, de 25 anos de idade, diz ter ficado apaixonado por uma barata.

Mais do que isso, consta-se que ambos estão já há um ano no relacionamento. Yuma explica que a barata africana, Lisa, foi o seu primeiro amor e embora a relação fosse tecnicamente (bem, talvez não só tecnicamente) platónica, o jovem não parava de pensar em como seria fazer sexo com a barata…

O japonês garantiu mesmo que na sua óptica, Lisa era mais sexy do que qualquer humana que ele já conheceu. O romance só acabou quando Lisa acabou por morrer e mesmo nesse momento, Yuma voltou a surpreender: acontece que ele comeu (no sentido digestivo) a sua amada…

“Fiz isso com o maio dos orgulhos. Agora, Lisa vive no meu coração e faz parte do meu corpo”, disse ele ao site Asia Wire. Yuma é integrante de um movimento que prega a ingestão de insetos variados como parte de um plano para salvar o meio ambiente.

De acordo com os especialistas, as proteínas encontradas em gafanhotos, baratas e seres semelhantes podem substituir perfeitamente aquelas encontradas na vaca, no frango e no peixe.

O que dizer desta história?