Esta ilha tem níveis de radiação maiores do que Chernobyl ou Fukushima

Esta ilha tem níveis de radiação maiores do que Chernobyl ou Fukushima

Sempre que se fala sobre radiações provocadas por energia nuclear, toda a gente pensa em Chernobyl ou em Fukushima, que foi uma tragédia um pouco mais recente. A realidade é que ambos os sítios não são dos mais contaminados por este motivo.

De 1946 a 1958, o governo dos Estados Unidos da América esteve a realizar provas com armas atómicas nas Ilhas Marshall e foi tal o dano causado que a mesma teve de ser interdita a quaisquer humanos. Para além disso, as ilhas em questão são o local na Terra com os maiores índices de radioatividade…

Como a situação estava muito complicada com os russos e outros países, os americanos ensaiaram com bombas e outras armas atómicas, que como pudeste constatar no vídeo acima, eram muito potentes. Para o fazerem, os habitantes destas ilhas foram retirados dali e recolocados noutras ilhas.

A ideia era simples: uma vez terminadas todas as provas e testes, as ilhas seriam “limpas” e quem lá vivia, retornava ao mesmo sítio. A verdade é que isto não aconteceu porque se constatou que os níveis de radiação estavam realmente altos demais para que alguém pudesse habitar por lá. Mais recentemente, um grupo de investigadores quis perceber o estado atual da ilha e bem, o que descobriram não é nada tentador…

Em vários testes, os níveis encontrados foram muito superiores àquilo que se esperava, passando por muito o limite estabelecido entre os governos dos Estados Unidos e das Ilhas Marshall. Na zona de Bikini, as medições rondaram os 648 milirems, quando o máximo estabelecido é de 100 por ano.

Tinhas noção?