A Islândia é o primeiro país a declarar-se contra os influencers


 

Com o intuito de aumentar o número de seguidores e o de corações nas suas fotografias do Instagram, há quem faça de tudo. Ora, a Islândia, um dos lugares mais bonitos deste planeta, é conhecida por atrair muitas pessoas que não se preocupam com outra coisa que não a de tirarem a fotografia perfeita para as suas redes sociais.

Acontece que devido a isso, algumas medidas drásticas tiveram de ser tomadas…

Para terem uma noção, existem mais de 100 milhões de imagens da Islândia no Instagram, muitas delas tiradas por influencers que não só colocam a sua vida em perigo como também o delicado equilíbrio natural da Islândia. Muitas vezes, em busca da fotografia perfeita, as pessoas acabam por ir para zonas restringidas do país e por fazer coisas que não são permitidas por lei.

Entre sentarem-se em glaciares a caminharem sobre musgo ou até aproximarem-se de forma perigosa de géisers, existem algumas pessoas que não têm mesmo noção do perigo que correm.

Ora, fartos desta situação, as autoridades islandesas decidiram tomar medidas: para proteger o seu património natural, criaram medidas que restringem a actividade dos muitos influencers destrutores.

Agora, devido a estas pessoas desrespeitadoras, todos os turistas têm de assinar um documento no aeroporto para se comprometerem a deixar os locais turísticos tal e qual como os encontraram e a não acessarem zonas restridas, como é o caso do Fjaðrárgljúfur, por exemplo.

O que dizer?