5 práticas sexuais consideradas “sujas” que fazem bem à saúde

5 práticas sexuais consideradas “sujas” que fazem bem à saúde

 

5. Práticas sadomasoquistas fazem bem à saúde psicológica

Submissão e Disciplina, Sadismo e Masoquismo ou SDSM, mesmo tratando-se de práticas sexuais reprovadas por muita gente, podem fortalecer as pessoas (que as colocam em prática) psicologicamente. Isso porque, embora o facto de ter prazer em causar ou sentir dor seja algo estranho, os fãs de BDSM são mais extrovertidos e abertos a novas experiências. Os que aderem a esse comportamento sexual também costumam ser menos neuróticos, ansiosos, paranoicos e mais confiantes nas suas relações.

4. Poliamor pode fortalecer relacionamentos

Poliamor, para quem não sabe, consiste num estilo de relacionamento envolvendo mais de duas pessoas… muito diferente da maioria dos casais ao redor do mundo. E, mesmo que as pessoas achem estranho este tipo de relacionamento, a ciência garante que as relações poliamorosas são positivas  e tendem a durar mais, já que são construídas à base de muito diálogo, honestidade e transparência. O ciúme, um potencial destruidor de lares, também é outro factor trabalhado e controlado entre os adeptos do poliamor.

3. Sexo casual pode ser bastante positivo

Chega de tabu. A ciência já descobriu que sexo casual, apesar da cara feia da sociedade para esse tipo de comportamento, pode ser positivo. Isso, claro, se a pessoa tem em mente os motivos correctos para sair por aí a “pinar” a torto e a direito: Se esse comportamento é prazeroso para o indivíduo e é praticado pelo simples motivo de estar com vontade; o sexo casual é bom. No entanto, se for algo feito para compensar alguma coisa ou para fazer ciúmes a alguém…nesse caso é uma prática má, que pode deitar abaixo ainda mais a pessoa. Entendeste a diferença?

2. Sexo alivia cólicas menstruais

Embora muita gente evite ter relações na altura, digamos, sangrenta do mês, a verdade é que não há qualquer apontamento científico para isso. Os estudiosos do assunto indicam até que fazer sexo durante a menstruação ajuda a aliviar as cólicas e os demais sintomas indesejáveis do ciclo menstrual, já que as contracções do orgasmo no útero acabam por massajar a mulher internamente.

1. Masturbação é remédio santo!

Nos homens, a prática protege contra o cancro da próstata. Nas mulheres, ajuda a prevenir infecções do colo do útero, alivia infecções urinárias, melhora a saúde cardíaca, reduz os riscos de diabetes tipo 2 e melhora o humor. Além disso, a masturbação é um óptimo remédio contra a insónia, porque liberta uma quantidade sem fim de hormonas calmantes no sangue. Resumindo: os cientistas recomendam que as pessoas percam o medo de “usar as mãos”!