10 motivos pelos quais o McLaren Senna é o melhor dos superdesportivos

10 motivos pelos quais o McLaren Senna é o melhor dos superdesportivos

A McLaren não perde tempo a construir veículos sedan ou SUV, nada disso. Eles gostam de automóveis rápidos e com um design capaz de nos deixar boquiabertos.

Dentro de toda a variedade dos superdesportivos, o McLaren Senna destaca-se porque foi feito com seriedade e isso nota-se no seu design e rendimento. Para além disso, tem o nome de uma lenda da Fórmula 1: Ayrton Senna da Silva.

A seguir, trazemos-te 10 fortes motivos pelos quais o McLaren Senna é, muito possivelmente, o melhor de todos os automóveis superdesportivos…

1. UM FORTE CHASSIS DE FIBRA DE CARBONO

Tem uma versão atualizada do chassis de fibra de carbono do McLaren 720S. Graças aos reforços adicionais por detrás dos bancos, este novo chassis é o mais forte que a companhia já fabricou para um automóvel deste género.

2. MAIOR PODER

Os engenheiros da McLaren também melhoraram o motor desde a saída do 720S. Agora, o V8 biturbo de 4.0 litros tem 789 cavalos de força graças, em parte, à ingestão de periscópio frio que tem uma entrada de ar similar ao hipermotor original do McLaren F1, da década de 90.

Tem um escape de três turbos, que ajuda a dar uma potência ainda maior.

3. DESIGN AERODINÂMICO

Os separadores, difusores e até o aileron do Senna combinam-se perfeitamente para pegar o automóvel ao chão com mais de 800 quilogramas de força a 250 km/h. Isto é um acréscimo de 40% da carga areodinâmica que o hipercarro P1 da McLaren tinha há uns anos.

Isto significa que o Senna tem melhor aderência nas curvas e a maiores velocidades, sendo que esta areodinâmica ajuda inclusive os travões a parar o automóvel.

4. TRAVÕES

O Senna tem discos de travões de cerâmica de carbono de 390 mm, à frente e atrás, sendo que tem todo um sistema de travagem optimizado e melhorado devido à aderência adicional provocada pela carga aerodinâmica ativa do automóvel. Os travões do Senna são realmente muito efectivos.

5. SUSPENSÃO ATIVA

O sistema de suspensão ativa hidráulica de segunda geração do RCC II da McLaren permite que o computador de bordo do automóvel controle com precisão a resposta do Senna a cada lomba e/ou ondulação, tratando então de controlar o equilíbrio com o intuito de preservar o controlo e a atitude aerodinâmica do automóvel. Este último ponto é crítico, porque as mudanças de rendimento aerodinâmica como resultado do movimento do carro podem gerar surpresas desagradáveis.

6. AS RODAS

O Senna conta com pneus Pirelli P-Zero Trofeo R (245/35 ZR19 na parte da frente e 315/30 ZR20 na parte de trás) que a McLaren desenvolveu especialmente para este automóvel, em conjunto com a Pirelli. Tudo isto faz com que a tração para a aceleração tenha sido melhorada, sendo que a reação entre os eixos dianteiros e traseiros mantém-se constante.

7. O PESO

Construído com fibra de carbono, o “peso seco” deste Senna é de 1,200 quilogramas. Em comparação, pesa mais 90 kgs do que o Mazda Miata, que tem um défice de 600 cavalos de força em comparação com o Senna. Para teres noção, um dos guarda-lamas dianteiros do Senna pesa apenas 645 gramas!

8. UMAS PORTAS INCRÍVEIS

Como se as portas do McLaren Senna não fossem suficiente chamativas, têm secções de Gorilla Glass na parte inferior, proporcionando uma sensação de cabina aberta desde o interior do automóvel…

9. A VELOCIDADE

A velocidade máxima do Senna é de 335 km/h. Sim, há veículos que alcançam mais mas a aderência aerodinâmica e a mecânica do Senna fazem da sua velocidade algo espantoso. Comparado com o 720S, o Senna move-se na rápida curva parabólica do Estoril 8 km/h mais rápido do que o 720S.

Vai dos 0 aos 100 em 2.7 segundos e faz 1/4 de milha em 9.9 segundos. Incrível.

10. MILIONÁRIO

Se quiseres ter um menino destes na garagem, só tens de desembolsar um milhão de dólares e fazer-te à pista. Mas atenção, pois só foram fabricados 500 destes…